segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Vidraça...

Vou começar esse post dizendo que eu passei no vestibular para medicina na UFPR. Você pode acreditar que eu só estou querendo “me achar” caro leitor, mas o problema será seu, porque eu estou querendo isso sim. Se eu não “me achar”, ninguém o fará por mim.

Agora sim vamos ao que interessa.

Você já teve momentos, em que estava sozinho e percebeu que você estava com você? É muito estranho, não acha? Se você não sabe do que eu estou falando, talvez um dia descubra, caro leitor.

É uma sensação muito estranha. Você sai da mecanização/automação diária e percebe que você está ali, naquele instante sozinho, mas não sozinho. Você praticamente tem vergonha de si mesmo, fica meio sem jeito. Realmente estranho.

Queria dizer aqui também que, ainda bem, quem se esforça é reconhecido (pelo menos de vez em quando). Às vezes você se esforça tanto para tentar alcançar alguma coisa, mas não consegue de primeira, enquanto que outros vão lá sem nenhum preparo, ou merecimento, e conseguem. Pelo menos o esforço é reconhecido, de uma forma ou de outra.

Sobre estudo, tenho uma frase muito interessante, do Orkut, que leva a outro tópico: “Estude como se você fosse viver para sempre. Viva como se você fosse morrer amanhã.”

Estudar, ler, aprender, apreender... Ações necessárias para viver bem. Mas é preciso viver muito. E isso me faz repetir a frase do post passado, desta vez com tradução para os menos afortunados: There's only us. There's only this. Forget regret, or life is yours to miss. No other road. No other way. No day but today.” (Só existe nós. Só existe isso. Esqueça o remorso, ou a vida é sua para ser perdida. Nenhum outro caminho. Nenhuma outra forma. Nenhum dia além do dia de hoje.) – Sem a tradução o sentido original se conserva melhor, mas...

Parece-me que é uma forma interessante de se viver: vivendo. Esquecer as pequenas coisas, os arrependimentos, o passado, o futuro. O que importa mesmo é o hoje, o agora.

Sim, dileto leitor, eu sei que é difícil desapegar-se das pequenas coisas de cada dia que parecem importar, mas que na verdade não interessam nem um pouco.

Acho que é só isso por hoje. Termino com um provérbio chinês interessante, para se dizer o mínimo: Ser pedra é fácil, o difícil é ser vidraça.”

Só mais uma frase, um tanto boba e metafórica demais, como um estímulo, ainda que piegas: Seja vidraça hoje e não deixe que as pedras passem por você...

PS: Desculpe a última frase, mas parece que sem ela o post ficava meio incompleto. Se você acha que ela não deveria/precisaria estar ali, releia o texto sem o último parágrafo e pronto, tudo estará resolvido.

6 comentários:

Guilherme disse...

very good
Quem se esforça é reconhecido SE merece reconhecimento

Tuka disse...

Hoho
Novamente... Parabéns \o\

"Às vezes você se esforça tanto para tentar alcançar alguma coisa, mas não consegue de primeira, enquanto que outros vão lá sem nenhum preparo, ou merecimento, e conseguem."

Isso causa certa revolta, muita revolta, veja o caso do vestibular, por exemplo... De alguma maneira não é como jogar na loteria?

Sobre a questão de estar sozinho e não estar exatamente sozinho... sempre me sinto assim, mas não da maneira como citado e sim como se há sempre alguém me vigiando mesmo... medo :O

E eu sou uma dessas pessoas que têm que aprender a se desligar do passado, as coisas ruins dele ^^V

e eu gostei do post, não ficou chato não ._.

Guilherme disse...

Sei lá, eu não acho q deveríamos nos desligar do passado...ele nos tornou o que somos hoje....e isso não é conversa de quem estuda História, é uma opinião de um cidadão mesmo... talvez influênciado pela faculdade que faz...

Guilherme disse...

"Parece-me que é uma forma interessante de se viver: vivendo. Esquecer as pequenas coisas, os arrependimentos, o passado, o futuro. O que importa mesmo é o hoje, o agora."

De certa forma, sim, mas...de certa forma...não.

NÃO HÁ como viver sem olhar pra trás ou rpa frente...a linha do tempo está ligada a nós, tudo o que fazemos tem como uma das causas o tempo: estudar...pro futuro passar no vestibular ou prova; ir viajar para descansar...Ok, ams descansar de quê? Trabalhou demais NO PASSADO? Ou simplesmente aproveitar a vida porque ela é curta?(se ela é curta quer deizer que vai acabar...então você já está pensando no FUTURO)

Essa opinião é muito subjetiva...mas de qualquer forma, eu acho que aproveitar, indepewndente do quê ou de qual maneira, é preciso.

guif_ disse...

Você pode pensar no tempo em que quiser: passado, presente ou futuro; mas você só pode viver no presente. Se você ficar se arrependendo do que já passou e não volta mais, você esquece de viver...
Não se trata de desligar-se do passado, mas sim de não viver no passado e não deixar que aquilo que já aconteceu influencie no que ainda vai acontecer...

Forget regret, or life is yours to miss...
No day but today...

^^

tai disse...

Eu entendo o que o Saccomori falou, também acho que não devemos simplesmente apagar o passado de nossas vidas, mas não devemos deixar que ele nos maltrate. Por exemplo, ficar remoendo um erro passado, ficar preocupado com o que fez de errado, ficar sonhando e desejando que os velhos tempos voltem...

O que devemos fazer é lembrar do passado e do que aprendemos com ele, e assim construir nosso presente e "planejar" nosso futuro, tentando, por exemplo, pedir desculpas a quem magoou, desculpar a nós mesmos pelos nossos erros, reencontrar os velhos amigos e fazer novas histórias e momentos inesquecíveis..

Viver, pra mim, é aproveitar as oportunidades que a vida nos dá, desde que elas nos satisfaçam, nos deixem orgulhosos de nós mesmos..

Guiii parabéééns pelo vestibaa! =D