quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Educação e Finanças...

Começo esse post dando meus parabéns a você leitor, que resolveu se aventurar a ler mesmo após ver o título.

Começo falando sobre o valor das coisas. Calma, não falarei sobre a inflação o aumento dos preços ou o roubo previsto pela lei, digo, os impostos previstos pela lei... Quero refletir sobre o preço que pagamos por serviços que nem sempre queremos de fato. Um dos exemplos que dou para começar é o cursinho. Pagamos cursinho, ou no meu caso pagaram meu cursinho, mas não é algo que escolhemos fazer, é algo que precisamos. Ninguém anda na rua, vê um cursinho e resolve se matricular e fazer aulas por diversão; sempre há um objetivo.

Obviamente que a maioria dos cursinhos tem alunos que desejam fazer medicina ou direito, mas pode-se dizer que nenhum desses alunos deseja de fato "fazer" cursinho. Claro que há toda uma aquisição de conhecimento, um aprofundamento crítico sobre os fatos, é um ano estressante, mas muito proveitoso, no sentido de conhecer mais sobre o mundo e fazer amigos.

Contudo, se alguém pedir para um aluno de cursinho o que ele prefere: fazer cursinho ou estar cursando uma faculdade de respeito, todos iriam responder a segunda opção. Por isso cursinho é uma das coisas pelas quais se paga sem realmente querer fazê-la, é só uma parte do caminho para chegar ao objetivo maior.

Um segundo e último exemplo disso são as cirurgias. Excetuando-se as plásticas, as cirurgias ou tratamentos médicos são obviamente gastos que gostaríamos de evitar. É claro que as pessoas fazem cirurgias e tratamentos para melhorar (no caso de uma doença genética, principalmente), e as pessoas querem ficar bem, mas se houvesse a opção de tratamento sem uma cirurgia as pessoas a escolheriam, pois não é o caminho para a saúde que interessa a elas, mas sim o objetivo final, a própria saúde.

Agora, mudando das finanças para a educação. Não importa em que escola, cursinho ou colégio, em qualquer lugar há (aos montes, diga-se de passagem), alunos desinteressados, que não querem nada e que não pensam em ter um futuro bom ou em fazer uma boa faculdade.

Da mesma forma que existem esses tipos de alunos, existem os pais que acham que a escola é simplesmente uma creche, que eles podem deixar as suas "crianças" lá e se despreocupar. E leitor meu, isso é de fato uma atitude muito ridícula e equívoca. Esses pais deixam que os filhos ajam como eles querem, sem se preocupar com nada. São geralmente pais com dinheiro que sabem que o filho cursará uma universidade particular e seguirá no trabalho da família.

São pessoas como esses pais relapsos e alienados, e filhos ainda mais alienados e relaxados que enchem as escolas atualmente. E depois, dileto leitor, esses "estudantes" acabam fazendo direito na UniEsquina e ficam se achando porque "eu passei nessa universidade, eu faço direito na UniEsquina". Estão tão alienados que não percebem que a tal universidade é só mais uma das muitas que proliferaram nas décadas passadas, sem a qualidade necessária para produzir profissionais competentes.

Além disso, direito é um curso para manter o sistema funcionando. Os ricos continuam ricos, os pobres continuam sendo explorados, não se tem chances reais de crescimento, e principalmente, há muitas discrepâncias e injustiças. Um professor de ensino básico (aquele que ensina a ler e escrever) devia receber muito mais que os professores de ensino médio e superior, por exemplo. Ele é a base de tudo que o estudante aprende.

Mas essas discussões poderiam se alongar demais dileto leitor, então encerro esse texto por aqui com algumas frases. Claro que a procedência delas só será revelada no próximo post e você terá que quebrar um pouco a cuca pensando em quem que as disse:

"A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original."

"O homem que trabalha somente pelo que recebe, não merece ser pago pelo que faz."

"Nunca conseguirás convencer um rato de que um gato traz boa sorte."


 

PS: Espero que você tenha captado o que eu quis dizer sobre finanças, talvez esteja muito confuso, mas é que faz tempo que eu escrevi esse texto e acho melhor não mudá-lo, só editá-lo para lançar a versão final.

6 comentários:

Guilherme disse...

Meu professor de Estrutura e Funcionamento do Ensino ia adorar te ter como aluno lendo isso...o.o
excelente crítica.

guif_ disse...

Ah, qui booom.... (Como diria o Anta)..

=)

guilherme disse...

hehe...bom se tu tiver essa matéria na faculdade já tá aprovado xD

Luiza disse...

(alguem aki q nao eh Guilherme =x)
( ^^ )

muito bom o texto!!
soh uma coisa....
vc podia FALAR mais sobre o q vc pensa, e nao soh escrever....=D


=*************

tai disse...

Essa do "falar" da Luiza foi legal.. =D

Eu também acho que tem um monte de desinteressados por ai, e também acho que a "culpa" é dos pais que não souberam ser o exemplo. A crítica da UniEsquina tá perfeita! Dá vontade de pedir pra publicar o "artigo" em algum jornal famoso. Vai dize! Ia ser muito massa! huahauahuahau

Ha, acho que uma das frases eu sei de quem é. Eu não colei!

Guilherme disse...

Comentando o comentário da Lu...é, fala fala fala fala mais até EU nao poder mais falar nada...