sábado, 16 de agosto de 2008

O tempo...

Querendo ou não, tudo na nossa vida gira em torno do tempo. Já é um clichê dizer isso, mas é verdade. E não falo apenas do tempo normal, mas do tempo mais pérfido que existe: o tempo de espera. Nada é na hora. Uma loja com "pronta entrega" não entrega exatamente na hora que você acaba de finalizar a compra, ela geralmente demora horas para entregar, por exemplo.

Mas o leitor deve estar pensando por que pérfido? A resposta se encontra no fim desse texto, e para chegar até lá, dileto leitor, você deverá esperar, ler tudo que eu escrevi antes, e só então descobrir a resposta dessa pergunta. Difícil não?

Bem, comecemos então. Todos os dias esperamos alguma coisa: alguém deve ter esperado esse texto, muitos esperam um ônibus, o metrô, que o trânsito flua mais tranquilamente, que a corrupção acabe, que os roubos terminem, que a violência desapareça. E esperamos. Esperamos para ter aquilo que desejamos. Claro, nem sempre conseguimos. Esperaremos para sempre o fim da corrupção e nunca o veremos. Mas esse texto não é sobre isso, pode ficar tranqüilo leitor meu.

Crianças têm mais facilidade em se angustiar com a espera. São esperas fúteis, é claro, mas que para elas significam o mundo. Por exemplo: o Natal, o dia das crianças, o dia em que vai chegar um jogo legal, etc. Fúteis, mas nem tanto. Eu também espero o Natal, e qualquer leitor meu dirá o mesmo, considerando-se leitores normais que ainda são capazes de sonhar.

Aqueles que são incapazes de sonhar e de acreditar nas coisas, por favor, parem de ler.

Ok, ok, eu não posso controlar quem lê ou deixa de ler meus textos, mas posso tentar.

Antes de uma fuga do tema deixe-me voltar ao assunto. Todos anseiam o objeto da espera, por motivos variados. Mas ao esperar, o tempo passa vagarosamente e temos a impressão de que tudo demora mais quando queremos muito algo.

E agora leitor meu, a resposta da pergunta feita no início desse texto. O tempo é pérfido, traiçoeiro porque após uma longa espera, quando de fato obtemos aquilo que queríamos, o tempo volta a passar rápido, não aproveitamos o que aguardávamos e ainda nos esquecemos da longa espera pela qual passamos.

Após a obtenção daquilo que desejamos, não pensamos mais no quanto foi duro ficar na expectativa, ao mesmo tempo em que não aproveitamos aquilo que aguardamos por tanto tempo.

Mas bem, antes que você, caro leitor me diga que eu já repeti muito as palavras tempo, espera, e seus sinônimos, e acuse meu texto de ser circular e repetitivo, encerro esse post com duas frases, retiradas de uma antiga produção da televisão brasileira, proferidas por uma personagem sui generis. Deixarei que vocês reflitam, prezados leitores, de onde eu retirei estas frases, e colocarei no próximo post a resposta. Mais uma espera para suas vidas, mas nada de tão difícil que não possa ser feito:

"Tudo passa, o tempo passa, o ferro elétrico passa, até a uva passa." "Perdi a loção do tempo."

5 comentários:

Luiza disse...

ateh q vc escreve bem =D
hehehe
tah bem legal
estou esperando os outros
^^

guilherme disse...

hehe
bom post
mas o tempo não existe, é uma criação de nossas cabeças

Tuka disse...

concordo com o que você escreveu, o tempo realmente é cruel T_T

(eu até queria expor a minha idéia sobre isso, mas, estou com preguiça u_u)

ho, aguardando o
próximo post >D

(será que levará muito
tempo? D:)

guilherme disse...

manda a tuka expôr a idéia dela xD

tai disse...

O Gui podia escrever crônicas... ia se dar bem.. ia ser uma "Martha Medeiros" da vida, ou algum outro autor que eu nao lembro nenhum nome.. =x