domingo, 31 de agosto de 2008

Frio, parcialidade, furacões e laranjas...

Começo esse post acabando com a cruel questão da procedência das frases do post anterior. Elas são da personagem Magda do antigo "Sai de Baixo", em alguns textos eu deixarei um de seus interessantes pensamentos.

Eu não tinha assunto, mas decidi que o de hoje é o frio... Ou era para ser.

Eu gosto do frio, mas com o aquecimento global os invernos dos últimos anos estão se tornando mais amenos.

Obviamente eu sei que não há relações de fato entre o aquecimento global e a temperatura dos invernos, mas que faz tempo que eu não sinto frio como eu sentia quando era criança, é verdade.

Mas a questão não é essa, a questão é que as pessoas são muito estranhas e diferentes.

Há dias em que a temperatura está abaixo dos 12°C, vou até a sacada e vejo pessoas de camiseta de mangas curtas e até de bermuda.

Tudo bem que as pessoas são diferentes, mas nessas temperaturas tão baixas uma camiseta de mangas curtas é de congelar só de olhar.

Também é impressionante como certas pessoas ignoram as diferenças de temperatura que podem ocorrer em um dia, principalmente na cidade em que moro. Saem com pouca roupa e esquecem-se de levar um casaco, ou pior, nem consideram levar um casaco, pois acham que não vai esfriar tanto. E assim congelam.

Claro, estimado leitor, que cada um congela como quiser e eu não vou me intrometer na vida alheia sugerindo mais ou menos peças de roupa, mas que é estranho é; e muito.

Se elas não congelam, eu congelo, sozinho, não por falta de roupa, mas por causa da própria temperatura ambiente mesmo.

E agora, voltando à questão do aquecimento global, o mundo está mudando. E isso é visível e gritante. Basta você abrir uma revista ou um jornal e com certeza verá algo que pode ser relacionado com o aquecimento global. Mas cuidado leitor meu, não se engane com o sensacionalismo exacerbado dos meios de comunicação. Há uma tendência de exagerar os fatos, deixá-los mais complexos para chamar a atenção do leitor.

Não se iluda, achar que tudo ocorreu exatamente como está em uma reportagem ou em um artigo é enganar-se.

Uma notícia, por mais imparcial que seja, sempre tem um pouco de opinião do autor. Não há textos jornalísticos que apenas descrevem como algo aconteceu. Esses textos apresentam apenas uma versão do fato. O fato verdadeiro dificilmente será veiculado.

As notícias são exageradas, são escandalosas... São enganosas.

É muito fácil deixar se levar por esses enganos. Os furacões dos EUA e América Central são sempre exagerados, por exemplo. É claro que eles foram, e são terríveis e devastadores, mas esta é uma região propensa a esses acontecimentos climáticos, o problema é que eles se agravam devido ao aquecimento global. Ou seja, os próprios estadunidenses causaram os furacões que devastaram áreas de seu país.

Claro, não foram eles exatamente, mas sua contribuição foi decisiva para a intensidade dos acontecimentos.

Desculpe leitor, eu sei que são muitas informações para um texto que começou sem idéias, mas peço a você que continue seguindo a minha lógica, que logo eu termino.

Os fatos são manipulados pela mídia. E esse é um dos maiores perigos. O caso Isabella, por exemplo, está em alta ultimamente, mas o povo já se esqueceu de João Hélio. O fato é que a mídia não deu mais notícias então isso acaba no esquecimento. O povo se comove com uma pessoa desconhecida, se identifica nela, mas semanas depois já esqueceu, ou melhor, foi levada a esquecer pela mídia.

Os meios de comunicação têm esse poder, e para o mal ou para o bem nós temos que nos adaptar e saber discernir o que nos é apresentado.

Para concluir: o frio congelante, furacões, ciclones extratropicais, terremotos e violência; tudo está na mídia, exceto talvez o frio. E devemos prestar atenção para que não caiamos em histórias exageradas e completamente parciais.

Mais uma vez dileto leitor, desculpe pela quantidade de temas, mas uma coisa leva a outra e eu acabo me empolgando. Esse post talvez tenha ficado um pouco sem nexo, mas para isso basta ler a frase da Magda dessa semana e tudo se encaixará no lugar... Ou não.


"Para bom espremedor, meia laranja basta."


OBS: Esse post já tem vários dias e as condições climáticas já estão diferentes, mas a idéia central ainda se aplica. E sim, o caso Isabella já não está mais em alta, está esquecido...

4 comentários:

guilherme disse...

É, eu já te disse, esse é o melhor post até agora, tá MUITO bom, principalmente a parte das parcialidades da mídia: a mídia manipula, isso todos sabem, depende de cada um filtrar o que é dito (mas as vezes, ainda assim é difícil)só que para muita gente, isso passa despercebido. E por menos parcial que seja, é impossível ser parcial, deveria-se pelo menos, ser político, e sincero dizendo para que lado está pendendo.
Nhó

Tuka disse...

Depois de inúmeras ameaças de morte [exagero] estou aqui para deixar meu comentário.

Concordo com o que nosso amigo Saccomori escreveu e, além disso, acrescento a seguinte questão:
A mídia [ou a mior parte dela]dá ao povo aquilo que ele quer: sensacionalismo. O próprio caso Isabella. Meu Deus, incrível como o povo sensibilizou-se, aquelas pessoas protestando por mais paz, segurança, justiça. Mas quantas coisas piores acontecem diariamente, alguém as notifica? Esse crime não chocou apenas pela brutalidade, mas sim por ter ocorrido numa família de posses. Nesses últimos dias foi a tal "crise dos alimentos". Um aumento aqui, uma queixa ali. Alguém preocupou-se em entender o porquê disso? O custo do produtor, seus prejuízos, os perídos de entre-safra.

Alguém lê as notícias de rodapé do jornal? Alguém sai por aí comentando algo sobre a educação? Alguém presta atenção nessas coisas? Creio que a maioria não.

As pessoas preferem temas como "O fim do mundo"; Guerras, epidemias. São temas mais divertidos, chamam mais a atenção, nos tornam pessoas mais esclarecidas e atualizadas.

A mídia oferece drama, alarde, conflito [é disso que ela sobrevive], a população compra e pede cada vez mais.

Ok, ficou tosco, não escrevo mais.

Luiza disse...

=D

axo melhor eu desistir d q neve aki em Erechim....-.-'
=/

mas tah bem bom o texto
disculpe o atraso para ler o texto...>.<


=****

tai disse...

Humm é, esse texto ficou bom mesmo.. A mídia é uma bocó, odeio ela! Mas, fazer o quê, se não fosse ela, eu não teria como ficar informada, não que isso seja muuito importante, mas... eu odeio a mídia mesmo assim!